20 abril 2016

Livro: Manifesto de como ser interessante, de Holly Bourne • Review



Manifesto de Como Ser Interessante
de Holly Bourne
Tradução: Márcia Martins
Edição/reimpressão: 2015
Páginas: 424
Editor: Civilização Editora
ISBN: 9789722637091
Idioma: Português

Sinopse: Bree não é uma miúda comum. Apesar de ser rica e andar numa escola privada, no escalão social da sua escola ela está no estrato mais baixo. Rebaixada pelo grupo mais popular da escola - que tinha Jassmine como rainha -, e tendo apenas Holdo como amigo, a sua vida gira em torno do professor de Inglês e do seu desejo de vir a ser escritora. Contudo, depois de ter sido recusada por todas as editoras do país, decidiu que o seu problema era ter uma vida desinteressante - e foi então que decidiu mudar a sua vida e começar um blogue. Contudo, os seus limites éticos e pessoais vão ser postos à prova na sua busca pela popularidade, e juntar-se ao grupo das populares é apenas o começo.



Opinião: Este livro foi uma aventura que mal consigo descrever. Uma aventura que foi tanto assustadora quanto hilariante.

Inicialmente, foi levemente difícil habituar-me à escrita – muito leve, muito adolescente, muito acessível -, mas acabei por habituar-me. Sobretudo quando, umas páginas mais tarde, nos aparece um excerto de uma texto da Bree (recordemo-nos que ela é uma escritora) e eu percebo que a autora do livro tem jeito para escrita – apenas escolheu aligeirá-la para o seu público-alvo.
Quando o livro me foi apresentado, sob uma aura de troça e “lê para depois podermos rir juntas e falarmos do quão terrível é” eu pensei que, “ok, o livro pode ser mau, mas não pode ser assim TÃO mau, pois não?”.

Estava enganada.



Devorei-o, é verdade. E lê-lo foi uma experiência um tanto pecaminosa, porque detestei-o tanto quanto o adorei. Adorei-o, contudo, apenas pelo facto de ser um livro rebelde. E é rebelde porque tem tanto de insano quanto lhe falta de bom senso. Se fosse um filme, seria Mean Girls. Definitivamente. A própria história é muito semelhante – transformar-se numa mean girl, infiltrar-se no grupo das populares, mudar bruscamente a sua vida, e depois dar tudo para o torto. Mas este livro consegue superar todas as coisas terríveis de Mean Girls – caraças, consegue superar todas as coisas terríveis de todas os filmes e livros para adolescentes. Este livro vai a extremos.

Foram esses extremos que me fizeram devorá-lo – afinal de contas, queremos sempre saber o que vai acontecer a seguir -, ao mesmo tempo que me deixavam com uma careta de “não acredito que isto acabou de acontecer” – e, não raramente, de “isto é uma loucura, tão ridículo”. Tudo o que acontece se conjuga numa montanha russa imensa, uma que poderia ter sido construída pelo Phineas e o Ferb, onde os momentos de calmaria são raros. É bem mais intenso que uma novela mexicana, bem mais stressante que um filme de terror, e muito mais emocionante que um filme de acção. E, claro, bem mais dramático que qualquer comédia romântica alguma vez escrita.




Estou numa posição um tanto confusa quanto ao que sinto pelo livro. Afinal de contas, gosto ou não? Ainda não percebi. Daqui a dois anos vou pensar nele e a maneira como me lembrar dele é o que ditará se gosto ou não. Por enquanto, vou contentar-me em determinar que não sei. Se recomendo? Sim. Toda a gente deveria ler este livro, apenas para descobrir se gosta ou se detesta.


Além disso tudo, digam-me lá: a capa não é absolutamente adorável? Mas aviso desde já: eu li a versão cor de rosa, mas, aparentemente, a que circula pelo mercado é cor de laranja. E adorei a ideia de as páginas estarem tingidas de negro! 

__


3 comentários:

  1. Amei, só a capa é um amor, vou procurar para comprar porque parece ser legal mesmo com você dizendo que não sabe o que sente em relação a ele, mas vou ler só para saber se gosto ou não como disses lskdjfsjlkf.

    www.idealizandolivros.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Linda a capa!

    Me pareceu bem Mean Girls mesmo, pelo que contou, rs.
    Interessante um livro de adolescente nos prender assim como você disse que prendeu. Confesso que fiquei curiosa pra ler. Tenho outros que estou mais ansiosa na frente, mas coloquei-o na lista ♥ Depois conto o que achei, rs.

    Beijo, beijo
    www.drawnwings.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. oi rafa! temos o mesmo nome! mas o meu é com 2 ll
    gostei muito do seu blog e fiquei com vontade de ler o livro...
    estou te seguindo!
    beijo
    www.wrefuliz.blogspot.com.br

    ResponderEliminar

Disclaimer

Todos os conteúdos aqui apresentados têm os direitos reservados aos respetivos autores. À partida, todos os textos neste blog são da autoria de Rafaela Silva, Aléxia Oliveira e Mónica Simão, exceto em referência contrária, e não devem ser reproduzidos, adaptados ou copiados de forma alguma sem consentimento prévio. Todas as fotografias com marca de água de Rafaela Silva ou RS Fotografia e Design têm os direitos exclusivos de Rafaela Silva. As fotografias com a marca d'água de Lemao Doce ou Limão Doce pertencem exclusivamente ao blog. E todas as imagens não assinaladas pertencem aos respetivos autores e provavelmente virão de sites dedicados a imagens de stock (ver: 'Recursos')
Com tecnologia do Blogger.

Seguidores

Google+ Followers