14 março 2016

Não tens de ser um idiota só porque ela te magoou • Texto


Quantas vezes já ouvimos histórias do tipo “ele só é um verdadeiro idiota porque a ex-namorada o magoou”?

Aposto que toda a gente conhece o caso de alguém que é um total neandertal com as mulheres porque, ouve-se dizer à boca miúda, a primeira namorada, a sério, que ele teve terminou tudo com ele.
“Pois é, ele “namora”, simultaneamente, com a Belcrana e a Fulcrana porque tem o coração partido. E por vezes dorme na casa da mãe da Joana porque se sente sozinho. E, ah, ouvi dizer que é a Anacleta quem lhe faz o almoço e o jantar”.

A verdade é que parte da sociedade (não, esqueçam lá esta “parte da sociedade”, deixemos a sociedade fora deste post). A verdade é que parte das pessoas pensa que o facto de alguém lhe ter partido o coração, na flor da adolescência, justifica a sua atitude de garanhão e partidor-de-corações-mor para com as mulheres.

(Que fique claro que, apesar de aqui me referir a um “ele”, o caso tanto se aplica a rapazes como a raparigas.).

Essa pessoa é um mártir. É claro que ele usa a Maria para lhe fazer o comer, que embebeda a Rita para levar para casa no seu carro, que chama as babies dele de babies porque não se vá enganar num nome. Mas o que é que isso importa, se ele até é bonito e a primeira (ou a última) namorada dele o tratou tão mal que o deixou um farrapo inconsolável?

Ele tem um coração partido. Ele amou demais e a coisa não deu certo. Deixem lá o rapaz saltitar de cama em cama enquanto quebra molas e corações.

Sim?

Pssiu. Não.

Boa notícia: não tens de ser um idiota só porque ela te magoou.

Não é por teres o coração partido que tens o direito de andares por ai a partir corações. Isso não vai consertar o teu (nem os sentimentos nem a medicina funcionam assim).
Iludires, maltratares e usares as mulheres que gostam de ti, só porque um dia alguém fez isso contigo, não é uma desculpa. É detestável.

Quando alguém maltrata o nosso coração tornamo-nos pessoas diferentes. Mais frias, mais desconfiadas, menos abertas. Construímos paredes, porque aquela pessoa, que um dia deixamos entrar, deixou tudo em ruínas.
Criamos defesas e levantamos muralhas.

Mas isso não nos dá o direito, nunca, jamais, de destruir outra pessoa, com boas intenções para connosco.

Um relacionamento mau, que terminou há dois anos, não te dá o direito de chamares dez mulheres diferentes de “amor”, no mesmo dia.

Tu não tens o direito de fazer com que uma delas beba para lá da conta, para teres o que chamas de “noite divertida”. Não tens o direito de prenderes a outra à tua vida, dizendo que tem de fazer os teus trabalhos da universidade, caso contrário arranjas outro alguém que te ajude. Tu, definitivamente, não tens o direito de pedires sexo sem proteção, à rapariga que pensa que pode ser tua namorada, mas que não sabe que existem mais duas a quem pedes o mesmo.

Tu não tens o direito de pedires segredo de todos os beijos, carícias e loucuras que elas te dão, usando a desculpa de que é mais fácil se ninguém souber. “Um segredo só vosso.”

Não tens de apagar sorrisos, que te são dados de boa vontade, só porque foste magoado no passado.
Não tens de ser um idiota só porque ela te magoou.
Isso nem sequer é uma desculpa.
Isso é ser má pessoa. É mesquinho, mau e feio.

(E, não confundam as coisas, uma coisa é ter um caso de uma, duas noites, e deixar bem claro que é só isso. Outra, diferente, e é disso que eu falo, é brincar com os sentimentos de quem nos ama, porque achamos que o podemos fazer.).

O ser um parvalhão para as outras pessoas, que viram algo de belo em ti, não é desculpável só porque, no passado, alguém te deixou o coração em ferida.
Não digas a ti mesmo que essa é a tua única opção. Não ouses dizer que, dessa maneira, “não te magoam”, enquanto magoas quem bem queres.

Maus relacionamentos podem acontecer, mas nós temos o poder de escolha para decidir como é que isso nos vai afetar daqui para a frente. Podemos crescer e aprender com eles ou usá-los como desculpa para sermos asnáticos sem nos sentirmos mal connosco mesmos.


Só para reforçar. Relembro. Boa notícia: não tens de ser um idiota só porque ela te magoou.

Segue o blog nas redes sociais: Instagram e Fanpage
À procura de uma forma de personalizar o blog/página? Veja os meus serviços aqui.
Participe no grupo de divulgação: LDIVULGA
E já agora, segue as meninas nas redes sociais.
Rafaela no Instagram e no Twitter
Aléxia no Instagram
Mónica no Instagram

5 comentários:

  1. Sim, essa é uma péssima desculpa. Aceito que fiquemos mais receosos e desconfiados depois de uma relação que tenha corrido mal, mas isso não é desculpa para nos aproveitarmos dos outros, pelo contrário, não lhes deveríamos fazer aquilo que não queríamos que nos fizessem!

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Daniela :)
      Exatamente, não é por nos terem magoado que vamos a correr fazer igual aos outros.
      Obrigada pelo comentário :)

      Eliminar
  2. Nossa, preciso mandar isso para uma pessoa! Hahaha. Esse texto diz tudo, tudo tudo. Parabéns pelo post!
    www.carolinalemelle.com

    ResponderEliminar
  3. Uau ! Outro texto incrível e muito bem formulado.
    Quantas verdades li em suas palavras! Realmente, nós temos o poder de decidir se vamos agir como idiotas, ou deixar as mágoas do passado, no passado. Amei <3
    Beijos,
    #fiquerosa

    Fique Rosa | Meu Canal YT

    ResponderEliminar

Disclaimer

Todos os conteúdos aqui apresentados têm os direitos reservados aos respetivos autores. À partida, todos os textos neste blog são da autoria de Rafaela Silva, Aléxia Oliveira e Mónica Simão, exceto em referência contrária, e não devem ser reproduzidos, adaptados ou copiados de forma alguma sem consentimento prévio. Todas as fotografias com marca de água de Rafaela Silva ou RS Fotografia e Design têm os direitos exclusivos de Rafaela Silva. As fotografias com a marca d'água de Lemao Doce ou Limão Doce pertencem exclusivamente ao blog. E todas as imagens não assinaladas pertencem aos respetivos autores e provavelmente virão de sites dedicados a imagens de stock (ver: 'Recursos')
Com tecnologia do Blogger.

Seguidores

Google+ Followers