07 março 2016

7 dicas para sobreviver num filme de terror • Saga dos 7




Vou ser sincera. Se estivéssemos num filme de terror, onde um assassino em série nos persegue, e fizéssemos o que os protagonistas desses filmes fazem, estávamos bem lixados.
Eu não sei a vocês, mas eu não duraria nem 10 minutos do filme. (Aposto que seria a tal loira burra que morre primeiro).
E é por esse motivo que vos dou sete dicas para saírem ilesos dessas situações. O título alternativo deste post seria: “7 coisas estúpidas que as pessoas fazem nos filmes de terror”.
Começo já por dizer que usar a vassoura ou o rolo da massa para vossa proteção não é boa ideia.



1- Não sigam barulhos estranhos

Já passa da meia noite. Estão em casa sozinhos, o gato dormita no sofá e vocês estão na sala a ver a vossa série preferida. Mas heis que ouvem um barulho estranho na cozinha. O que é que é mais sensato? Fazer um escabeche pelo corredor, até à cozinha, e depois gritar “ESTÁ AÍ ALGUÉM?!” (o assassino até vos vai responder e tudo), ou sair de casa e ligar a um amigo?
É obvio que é a prime-, segunda opção. Porque é que as pessoas, nos filmes de terror, têm a mania de perguntar se está alguém em casa delas? Elas esperam que tipo de resposta? “Sim, vim só assaltar a tua casa e dar-te umas traulitadas no processo”? Não faz sentido. Saiam de casa e liguem ao vosso amigo; não perguntem se está alguém em casa, as vassouras não se mexem sozinhas para terem provocado aquele barulho horrível na dispensa.


2- Uma vassoura não vai matar ninguém

Vocês dão de cara com o assassino. Correm até à cozinha e procuram algo que vos possa proteger. No que é que o protagonista pega para se salvar? Numa faca? Não. Numa navalha? Não. Num vidro? Não. No quê? Numa vassoura.
Porque o que é que mete respeito? Um facalhão, daqueles de cortar costeletas no talho? Nada disso. Mas uma vassoura? Uma vassoura?! Eu cá a vocês não sei, mas eu fico toda a tremer quando vejo vassouras.


3- Façam o favor de não se esconderem no sítio mais recôndito da casa

Ok. O plano da vassoura até resultou e vocês conseguiram fugir das garras do temível predador. O caminho até à porta da rua está livre, mas o que é que a pessoa no filme decide fazer? Subir as escadas da casa (porque as casas nos filmes de terror têm SEMPRE escadas) e ficar ainda mais longe da salvação.
Porquê? Porquê? Personagens, vocês estão num filme de terror, não de fantasia. Não vos vão nascer asas para fugir pela janela.
Eles podiam correr porta fora e pegar no carro para ir chamar a polícia, porém eles preferem esconder-se e ficar presos no armário da casa de banho, que nem janela tem.



4- Falem com os vossos vizinhos

As pessoas dos filmes de terror devem viver no Acre, porque elas, simplesmente, não têm vizinhos. Tocar à campainha da casa ao lado? Pfff, para quê, quando posso correr seis quarteirões, em trajes menores, enquanto grito feito uma louca?
Aqui o conselho é irem viver para um sítio com muita população. Certifiquem-se de arranjar vizinhos em condições (velhinhos de 80 anos não vos irão ajudar).


5- Verifiquem os lugares de trás do carro

Vamos imaginar que até conseguiram, sabe-se lá como, sair em segurança do armário da casa de banho e chegar até à garagem. Entram no carro, dão a ignição e lá vão vocês. Mas por acaso olharam para os bancos de trás do carro? É que podem apostar que o assassino não vos deixou sair do armário da casa de banho porque sabe que vocês têm um “q” de claustrofobia.
As vítimas dos filmes de terror verificam se a parte de trás do carro está vazia? Não. E é por isso que nas aulas de condução nos ensinam a olhar pelo retrovisor e para trás com a cabeça; por causa de situações como estas.


6- Telemóveis: com bateria mas sem som

Não é espantoso? Quase todo o protagonista dos filmes de terror sofre da síndrome de telemóvel sem bateria. Ou, pelo contrário, da doença do telemóvel que toca em horas inoportunas.
É por isso que eu tenho medo das chamadas dos tipos da MEO. Posso muito bem estar escondida de um bandido, no sossego do armário da minha casa de banho, e o telemóvel tocar e denunciar a minha presença, só porque alguém decidiu que eu posso querer um novo tarifário (eu não vou querer).
É por isso que se alguma vez vos adentrarem em casa não se devem esquecer de por logo o telemóvel sem som e de verificar se tem bateria. Lembrem-se: prioridades.


7- Até poderia acabar bem, se o tipo não estivesse meio morto

Cento e tal minutos de filme depois, após terem gritado, corrido e ficado descabelados que nem loucos, parece que tudo acaba bem e vocês (ou outros tipos) deram cabo do assassino. Mas, não. Ele na verdade só está desfalecido, pronto para abrir os olhos ao último segundo de cena.
Nem é preciso andar em medicina para isto, mas já viram as sequelas que poupavam se tivessem medido o pulso ao homem?

É que morto não tem ritmo cardíaco. A não ser que o filme de terror seja acerca de zombies, aí o caso já muda de figura e terão de ir em busca de outros posts para encontrarem solução.

Este "7 dicas" faz parte de uma (quase futura) coletânea de posts chamada "Saga dos 7" (mas não esperem coisas relevantes). Para leres a anterior, basta clicares aquiImagem de capa retirada do google.

Segue o blog nas redes sociais: Instagram e Fanpage
À procura de uma forma de personalizar o blog/página? Veja os meus serviços aqui.
Participe no grupo de divulgação: LDIVULGA
E já agora, segue as meninas nas redes sociais.
Rafaela no Instagram e no Twitter
Aléxia no Instagram
Mónica no Instagram 


5 comentários:

  1. Eu seria sem a menor das dúvidas a que morre primeiro. É que paralisava logo com o medo. Até do escuro ainda tenho medo! Opa, adorei o post, ri-me imenso. Porque os filmes de terror são MESMO assim. E nós feitos parvos a assistir e a dar dicas ao pobre coitado que está a ser perseguido, como se ele nos fosse ouvir. A do carro "e é por isso que nas aulas de condução nos ensinam a olhar para trás com a cabeça" - agora faz sentido, haha! E o telemóvel é o habitual, sempre sem bateria ou rede. Às vezes também me ponho a imaginar o que faria em determinadas situações do género destas. Um post muito bem escrito e acima de tudo bem disposto! Sabe bem ler estas coisas ao final da tarde :)

    Aonde (não) estou | blog

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já somos duas. Eu nem a iniciativa de ir à cozinha pegar no rolo da massa,ou na faca da manteiga, teria!
      Acho que seriamos péssimas protagonistas para um filme de terror. Teríamos de nos contentar com os papeis secundários.
      O pobre coitado que está a ser perseguido nunca nos ouve D:
      Muito obrigada, fico sempre feliz quando recebo comentários assim <3

      Eliminar
  2. Nossa, que post, maravilhoso. Eu morreria de pavor logo, logo. Ficaria paralisada de medo !!! Gostei das dicas.

    Bjokas e um bom dia,
    Blog: DMulheres
    Me siga no instagram : @dmulheres

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu seria igual, acho que nem teria tempo de pegar na vassoura ahah
      Obrigada, beijinhos :)

      Eliminar
  3. Vim conhecer seu blog e amei! Adorei o post foi muito divertido...E com toda certeza eu morreria primeiro, apesar de não ser loira, rsrs
    Bjs❤
    Abrir Janela

    ResponderEliminar

Disclaimer

Todos os conteúdos aqui apresentados têm os direitos reservados aos respetivos autores. À partida, todos os textos neste blog são da autoria de Rafaela Silva, Aléxia Oliveira e Mónica Simão, exceto em referência contrária, e não devem ser reproduzidos, adaptados ou copiados de forma alguma sem consentimento prévio. Todas as fotografias com marca de água de Rafaela Silva ou RS Fotografia e Design têm os direitos exclusivos de Rafaela Silva. As fotografias com a marca d'água de Lemao Doce ou Limão Doce pertencem exclusivamente ao blog. E todas as imagens não assinaladas pertencem aos respetivos autores e provavelmente virão de sites dedicados a imagens de stock (ver: 'Recursos')
Com tecnologia do Blogger.

Seguidores

Google+ Followers