17 fevereiro 2016

Bloggin 101 • #3: 10 coisas que aprendi com o blogue


Em mais de cinco anos de blogosfera, internet e partilha de ideias, projetos e interesses, ninguém se mantém inalterado. Seja em valores, seja em conhecimentos. Depois de tanto tempo e vários blogues, é evidente que aprendi algumas coisas importantes que, de uma forma ou de outra, têm grande impacto na minha vida. Então, o que é que eu aprendi com o(s) meu blog?


1. Mesmo com muito amor, é preciso lutar

Nada cai do céu. E, por mais que amemos algo, se não nos dedicar-mos a isso, não haverá progresso. Por muito que se goste de escrever, de fotografar ou de opinar, para ter sucesso é preciso correr atrás dele. É preciso trabalhar muito, ser organizado, ser perseverante e nunca, nunca desistir.


2. A organizar-me

Se antes eu já era mega fã de listas, passei a ser ainda mais. Mas, mais do que de listas, tornei-me a adepta número um de tabelas, planners e calendários. Há poucas coisas que eu faço na minha vida sem primeiro ser anotado ou encaixado. A minha agenda segue-me para todo o lado, assim como um bloquinho de post its e um bloco de notas. Além do mais, se antes eu nunca tinha "tempo para nada", agora eu consigo sempre ver onde é que tenho ou não tempo, porque sei exatamente o que vou fazer e quando (yep, visita o meu post sobre gestão de tempo!). Já não sou apanhada desprevenida por trabalhos esquecidos, reuniões ignoradas ou planos perdidos.


3. A planear

Para conseguir ter posts três vezes por semana, tenho de planear. Não tenho tempo nem, muitas vezes, "cabeça" para escrever posts no dia em que saem. E se houver quem tenha, admiro muito essa pessoa. É difícil, simplesmente. Para evitar atrasos, que o blogue fique parado ou outros inconvenientes, é preciso planear. E planear significa que, de x em x tempo, quando mais tenho disponibilidade, crio e agendo vários posts que, depois, serão automaticamente postados no dia definido. A maioria dos meus posts, que não sejam dependentes de datas específicas, estão criados há várias semanas (ou meses!) quando saem para o ar. Em tempos mais agitados, praticamente nem venho ao blogue - e, ainda assim, ele mantém-se ativo. E, claro, deixo sempre um espacinho para posts mais "espontâneos". 


4. A ter paciência

Eu já sou uma pessoa bastante paciente por natureza, mas a internet obriga uma pessoa a redobrar esse dom. É que ter um blog é estar exposto, é ter uma montra onde as pessoas podem espreitar e criticar - umas vezes mais ou menos simpáticas. Ter um blog é aceitar que vai haver sempre - sempre - alguém que não gosta, que odeia ou que despreza. É habituar-mo-nos à ideia de que há pessoas que olha para tudo o que postamos com repulsa, por mais inocente que sejam os posts, o conteúdo do blog ou as nossas visões. É postar algo sobre rotina de beleza e alguém ter algo de sexeual nisso. É falar de um filme e alguém ver algo de ofensivo nisso. É falar de uma atividade e alguém vir difamação nisso. É estar sujeito a crítica, construtiva ou destrutiva, a cada palavra que escrevemos. E ter de lidar com isso com o máximo de paciência possível.


5. Programação e Web Design

Quando cheguei aos blogs, já vinha com uma pequena bagagem de CSS por causa do (já defunto AnimeSpirit, entretanto transformado em SocialSpirit. A personalização das páginas pessoais dessa rede implica a edição de um documento em CSS que, por sua vez, requer algum estudo e compreensão do funcionamento dele (sem mencionar a parte do Design Grafico associado, claro). Desse modo, quando cheguei ao Blogger e comecei a trabalhar com o codigo usado nos seus layouts, foi mais uma questão de adaptação do que de aprender do zero. Tive de acrescentar algum JavaScript e HTML ao saquinho, adaptar os códigos e pronto. Nada que muitos - muitos - tutorais não resolvessem. 


6. Explorar a criatividade

Ser criativo não é difícil, basta sê-lo (se pensarem bem nisso, faz sentido). Mas ser criativo nas coisas mais básicas, mais pequenas, mais insignificantes... não é fácil. E ter um blogue leva-nos a praticar isso todos os dias. Como tornar um post mais apelativo, sem ser igual ao que há existe? Como tirar uma foto de algo sem parecer foto de catálogo? Como dar um título atrativo a um post? Como falar de algo vulgar, mas de forma original? A necessidade de criar destaque, fazer diferente para ser especial, é um exercício constante de criatividade.


7. Não é preciso esmagar para subir

Isso era algo que eu já sabia e praticava, mas ganhou um significado muito maior na blogosfera. Simplesmente não é preciso esmagar os outros para subir. Dar as mãos e ajudar mutuamente é uma das receitas mais eficazes por aqui. Promovendo outros blogues, estamos a promover-nos a nós próprios. E não é só uma questão de SEO, é também uma questão de criar laços com outrxs bloggers e fazer parcerias que podem funcionar para ambos os lados.


8. Não estou sozinha

Não sou a única a pensar de determinada forma, ainda que toda a gente me tente convencer disso. Recentemente, quando eu estava a ser alvo de "desprezo" por algo que escrevi, apareceram pessoas de todo o lado a apoiar-me e a dizer que concordavam ou que estavam do meu lado. Nunca esperei que isso acontecesse. No meio de toda a difamação, desprezo e exclusão, no final, o meu post uniu-me a pessoas muito interessantes - e ensinou-me que pessoas não poderiam ser de confiança. E isto aplica-se a muitas outras coisas - como, por exemplo, que não sou a única que se irrita com isto ou aquilo.


9. Encontrar várias vocações

Desde que comecei a blogar que descobri que sou capaz de muito mais do que pensava. Apesar de a escrita já ser uma vocação minha há muitos mais anos, aperfeiçoei-a e descobri outras: a fotografia, o video, o Design Gráfico, o Web Design, o Marketing... Desenvolvi várias áreas de interesse e, no final, acabei por definir o curso que segui na faculdade.


10. Eu sou importante

Sim, sou. Não sou famosa, nem o meu blogue é famoso, e não temos uma legião de fãs. Mas eu sou importante. O meu trabalho é importante e tem valor. Percebi sobretudo isso quando uma conhecida minha parodiou sobre um post meu nas redes sociais. Irritei-me - não pelo humor distorcido dela, mas pela sua absoluta desvalorização e troça do meu trabalho. A sua ignorância, falta de humanidade em perceber que o meu blogue não é o recreio dela. O meu blogue é um espaço de entretenimento, mas não tolero que me faltem ao respeito ou a ele. Dedico horas e imensas pesquisa para trazer conteúdo para aqui, e todo esse esforço não merece ser desvalorizado por ninguém. Críticas construtivas? Aceito-as, agradeço-as. Troça gratuita, não. Mas, além disso tudo, sou importante por outra razão. Sou importante porque, algures, há alguém para quem as minhas palavras fazem a diferença, para quem os meus posts importam, para quem o meu blogue significa algo. Se sou isso para alguém, porque não para mim própria também? Simplesmente aprendi a dar valor a mim própria e ao que faço.



Então e tu? Que aprendeste na blogosfera - enquanto leitor, ou blogger?



Participe no grupo de divulgação: LDIVULGA 
e não te esqueças de seguir a Fangpage do blog

6 comentários:

  1. Adorei o post e concordo com tudo.:)

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Rafaela,
    Muito bom post!! O aprendizado é imenso e todos os dias. Aprendi que é impossível agradar a todos e que gerar polêmica não leva a nada.
    Acho que vc falou tido neste post. Muito bom.

    Beijos e uma boa semana,
    DMulheres
    @dmulheres

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, está-se sempre a aprender, até mesmo com as coisas mais pequenas!! :)
      Muito obrigada pelo comentário <3

      Eliminar
  3. Tem muitas verdades....
    Eu por exemplo,apesar de gostar do que faço, não tenho o sucesso que muitas pessoas têm com o mesmo tempo ou até menos tempo de blog...
    É preciso esforçarmo-nos e mesmo assim,por vezes, é difícil.
    Cantinho da tequis
    Facebook Cantinho da tequis

    ResponderEliminar
  4. Mais uma vez amei,o teu post e não podia estar mais de acordo com tudo o que falas-te. Beijokas
    ❤ Célia Santiago
    Diário Feminino
    FacebookInstagramYouTube

    ResponderEliminar

Disclaimer

Todos os conteúdos aqui apresentados têm os direitos reservados aos respetivos autores. À partida, todos os textos neste blog são da autoria de Rafaela Silva, Aléxia Oliveira e Mónica Simão, exceto em referência contrária, e não devem ser reproduzidos, adaptados ou copiados de forma alguma sem consentimento prévio. Todas as fotografias com marca de água de Rafaela Silva ou RS Fotografia e Design têm os direitos exclusivos de Rafaela Silva. As fotografias com a marca d'água de Lemao Doce ou Limão Doce pertencem exclusivamente ao blog. E todas as imagens não assinaladas pertencem aos respetivos autores e provavelmente virão de sites dedicados a imagens de stock (ver: 'Recursos')
Com tecnologia do Blogger.

Seguidores

Google+ Followers